quinta-feira, fevereiro 26, 2015

Juiz determina suspensão de WhatsApp no Brasil





Uma decisão judicial pode tirar o Whatsapp do ar em todo o país. O juiz Luiz Moura Correia, da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina (PI), determinou que uma empresa de telefonia “suspenda temporariamente até o cumprimento da ordem judicial (…), em todo território nacional, em caráter de urgência no prazo de 24 horas após o recebimento, o acesso através dos serviços da empresa aos domínios whatsapp.net e whatsapp.com, bem como todos os seus subdomínios e todos os outros domínios que contenham whatsapp.net e whatsapp.com em seus nomes appe ainda todos números de IP (Internet Protocol) vinculados aos domínios já acima citados”. A decisão do juiz Luiz Moura Correia é ainda mais ampla. Ele diz que a empresa de telefonia deve “garantir a suspensão do tráfego de informações de coleta, armazenamento, guarda e tratamento de registros de dados pessoais ou de comunicações entre usuários do serviço e servidores da aplicação de trocada de mensagens multi-plataforma denominada WhatsApp, em que pelo menos um desses atos ocorra em território nacional”. O processo corre em segredo de Justiça. A empresa de telefonia luta para cassar a decisão, tomada pelo juiz Luiz Moura Correia em 11 de fevereiro, antes de ser obrigada a cumpri-la. A empresa de telefonia foi comunicada da decisão de Moura Correia em 19 de fevereiro por meio de um ofício do delegado Éverton Ferreira de Almeida Férrer, do Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Piauí.
















Fonte: Revista Época/Goiás News

terça-feira, fevereiro 24, 2015

Birdman Ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)



 
(Birdman)


Elenco: Michael Keaton, Zach Galifianakis, Edward Norton, Naomi Watts, Emma Stone, Jeremy Shamos, Andrea Riseborough, Katherine O’Sullivan, Damian Young, Keenan Shimizu.

Direção: Alejandro González Iñárritu

Gênero: Drama

Duração: 119 min.

Distribuidora: Fox Film

Orçamento: US$ — milhões

Estreia: 22 de Janeiro de 2015



Sinopse:

Dirigido por Alejandro González Iñárritu, ‘Birdman Ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)‘ é uma comédia de humor negro que conta a história de um ator (Michael Keaton) – famoso por interpretar um icônico super-herói – enquanto ele faz de tudo para montar uma peça na Broadway. Às vésperas da estreia, ele vai lutar com seu ego e tentar recuperar sua família, sua carreira e ele mesmo.



Curiosidades: 


» Abriu o Festival de Veneza 2014.


» A Fox Film do Brasil aproveitou o sucesso de ‘Birdman‘ nas premiações para divulgar o título nacional da produção, entrando na nossa lista das Piores Traduções Nacionais de Títulos de Filmes. O filme será lançado no Brasil com o título ‘Birdman Ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)‘. Sim, isso mesmo!


» O filme foi indicado ao Globo de Ouro em 7 categorias: melhor filme de comédia ou musical, melhor ator de comédia ou musical (Michael Keaton), melhor ator coadjuvante (Edward Norton), melhor atriz coadjuvante (Emma Stone), melhor trilha original, melhor roteiro e melhor diretor (Alejandro González Iñárritu).


» No Indie Spirit Awards, maior premiação do cinema independente norte-americano e considerado termômetro para o Oscar, o longa também liderou a lista com seis indicações, incluindo Melhor Filme, Ator (para Michael Keaton), Atriz Coadjuvante (paraEmma Stone) e Diretor.


» O filme foi também o mais indicado ao SAG Awards, premiação do Sindicato dos Atores, divulgado na quarta (10/11).



‘Birdman’ é o grande vencedor do Oscar

O filme ‘Birdman Ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)‘ foi o grande vencedor do Oscar na noite de domingo. A comédia dirigida por Alejandro González Iñárritu, venceu em quatro das nove categorias em que estava concorrendo, incluindo a principal da noite, a de Melhor Filme. Além desta, Iñárritu venceu como Melhor Diretor. O filme ainda levou Roteiro Original e Fotografia.



















Fonte: CinePOP

segunda-feira, fevereiro 23, 2015

A SKY TV por assinatura continua registrando recordes de reclamações






Má qualidade do Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC), dificuldade de cancelamento, cobranças indevidas e falhas na transmissão do sinal. Essas são algumas das principais reclamações dos clientes de empresas de tevê por assinatura registrada na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e nos órgãos de Defesa do Consumidor (Procons). As queixas batem recorde a cada ano, sugerindo falta de comprometimento da companhia com a melhoria da qualidade dos serviços prestados.

SKY campeã de reclamações no site Reclame aqui: 




O cliente Aldo Bastos contratou um pacote de R$ 186 mensais da SKY, mesmo ficando sem sinal durante todo mês de janeiro recebeu uma conta de R$ 320 no mês de fevereiro. Para completar a TV ficou sem sinal no ultimo domingo e nenhum atendente conseguiu resolver o problema. Quando pediu uma solução para o problema, o atendente tentou agendar uma visita de um técnico para o dia 27/02. Insatisfeito com a cobrança abusiva e a falta de sinal o cliente foi informado que para cancelar a assinatura teria que pagar o valor de R$ 320.



Além de ficar sem sinal o cliente se vê preso aos abusos da empresa. O correto seria a empresa resolver o problema justificando e parcelando o valor devido e também resolvendo o problema de ausência de sinal com rapidez e eficiência. Ao que parece as empresas não tem respeito e nem interesse de manter seus clientes. O Brasil se tornou o país do desrespeito por parte de empresas que em outros países tem qualidade no atendimento, mas quando chegam aqui sentem-se  na casa da Mãe Joana.


















domingo, fevereiro 22, 2015

Ex-baixista da Legião Urbana é achado morto em hotel





Renato Rocha, Dado Villa Lobos, Renato Russo e Marcelo Bonfá na Legião Urbana


Renato Rocha, baixista que fez parte da primeira formação da Legião Urbana, foi encontrado morto na manhã deste domingo (22) em um hotel do Guarujá, cidade no litoral sul de São Paulo.

Segundo a Polícia Militar, o músico foi encontrado por uma amiga que o acompanhava por volta das 8h30 da manhã. Ainda não há informações sobre a causa da morte nem sobre o velório do baixista.


Renato Rocha fez parte da Legião Urbana em sua estreia, em 1985, tocando no álbum que iniciou a carreira da banda ao lado de Renato Russo, Marcelo Bonfá e Dado Villa Lobos. O músico entrou na trupe para assumir parte das funções de Renato Russo, que era o baixista do grupo até então.

Em entrevista recente, o baterista Marcelo Bonfá contou sobre o episódio: "O primeiro disco era para ser gravado com o Renato como baixista. A Legião começou com essa cozinha, eu na bateria e o Renato no baixo. A gente se identificava muito bem. Mas, nesse momento, o Renato cortou os pulsos dias antes de entrar no estúdio”.


O susto forçou a entrada de Renato Rocha na banda, que Bonfá conheceu em uma das festas de rock na cidade-satélite. "Ele era uma figura louca, um cara gente fina", disse Bonfá.

O baixista gravou os três primeiros discos da banda de Brasília: "Legião Urbana" (1984), "Dois" (1986) e "Que país é este?" (1987).

Dos dois últimos álbuns, Rocha também foi compositor e ajudou a compor faixas ao lado dos antigos membros. De "Dois", ele participou da composição de "Daniel na Cova dos Leões", "Quase sem querer", "Acrilic on Canvas", "Plantas embaixo do aquário" e "Andrea Doria". Segundo o site oficial da banda, o disco vendeu mais de 250 mil cópias na época do lançamento, o que representava então um disco de platina. Já do sucesso "Que país é este?", Negrete ajudou na composição das músicas "Angra dos Reis" e "Mais do mesmo".


Rocha saiu da Legião Urbana em 1989, pouco antes da gravação de "As quatro estações", que vendeu 730 mil cópias apenas no seu ano de lançamento e se tornaria outro sucesso da banda de Brasília, com faixas como "Há tempos" e "Pais e filhos". A partir dali, Renato Russo assumiria o contrabaixo, tal qual o início do grupo.

A saída de Rocha da Legião Urbana sempre teve depoimentos divergentes. Em entrevistas, o ex-baixista disse que foi expulso por Russo "do nada", dentro de um elevador. Já os membros restantes justificavam motivos pessoais e de comportamento do colega.

A primeira banda de Rocha foi o Gestapo e, depois, a Hosbond Kama. Ao sair da Legião, ele participou de diversos grupos, como Cartilage e Finis Africae.























Fonte: G1/UOL